domingo, 14 de setembro de 2008


Ei chicas que me acompanham! Como prometido vou contar a história do gatinho. O chico é peruano, mas já vive nos Eua há 10 anos. Ele não é muito bonito, mas muito interessante. Trabalha nos shows como técnico de som. Nos conhecemos na semana passada, quarta-feira, na festa latina de tripulantes. No dia em que nos conhecemos chegou a rolar um beijinho, mas depois os jecas (ele e eu) nem nos falamos mais. Só uma semana depois fomos conversar denovo. Os dois morrendo de vergonha um do outro. Essa semana na festa latina, quando nos falamos pela segunda vez, rolou mais um beijinho de boa noite. Eu num tenho muita paciência pra esses romancezinhos de gringo não. Já estou farta dessa distância e quase partindo pra outra (outro peruano). Mudando de assunto completamente, hoje foi um dia super bacana. Às 10:30 da manhã comecei a trabalhar, tive que vestir essa roupinha ridícula da foto. Todos os sábados desse mês temos "october fest" no pub, uma festa com música ao vivo, comida e garçonete vestida de puta alemã. Fiz uma graninha razoável. Quando acabou o festival, troquei o uniforme, almocei e abri meu bar. Trabalhei normalmente o dia todo, fiz meu break, conversei muito com passageiros, como sempre, e quando o bar ficava vazio eu saía e sentava no deck a pensar no meu próximo passo. Meu contrato vaiaté janeiro. Depois disso ainda não sei o que fazer. Pensei em voltar e fazer um semestre na UFES e depois mais dois em países onde se fala espanhol. Pensei em continuar trabalhando pra Royal, se o dólar subir. Foram surgindo várias idéias, até que, quando eu já estava quase fechando o bar, um dos passageiros, um finlandês, me fez uma proposta incrível. Esse cara frequentou o meu bar a semana toda com mais dois amigos. Os três trabalham na construção dos navios na Finlândia, dois deles são engenheiros e o que me fez a super proposta é gerente de garantia (warranty manager). Primeiro me encheu de elogios, disse que eu sou muito inteligente e que tenho grande capacidade de lidar com gente, disse que com o meu perfil posso fazer o que quiser na empresa dele. Perguntei brincando se precisava aprender finlandês, ele disse que com a habilidade que tenho com idiomas, isso não seria problema e que o inglês que tenho é mais que suficiente para trabalhar lá. O cara me deu o cartão dele, me pediu que mantivesse contato e que quando eu quisesse me daria emprego na Aker Yards. Quis saber que tipo de emprego eles teriam para mim, ele disse que relações públicas, marketing, ou qualquer outra coisa que eu quisesse, encheu minha bola. Assim que cheguei na cabine, entrei no site da empresa pra saber se realmente teria algo que eu poderia fazer. Fui direto ao que interessa: "trabalhe conosco", aí encontrei a descrição do perfil de funcionário que buscam. Vejo grandes possibilidades. Já enviei um e-mail pro Arte (sim, esse é o nome do finlandês) e aguardo contato. Mesmo que eu não queira ir nunca trabalhar na Finlândia, foi um bom contato, mais uma porta se abriu!

Um comentário:

Ana Paula disse...

AMIGAAAAAAAAA
amei ler essa noticias suas!! ri muito claro!!
eu achei q vc ficou mto linda de puta alemã!!! ahahahahahahahha
Uau guria, só vc mesmo pra atrair essas propostas vindas do outro lado do mundo, fiquei pasma!! tomara q de certo.. mas se vc resolver voltar pra ca a gente marca um almoço no RU hehehehehehehehehe
Então amiga, conforme prometi visito seu blog sempre qndo dá... amo ler suas histórias! são incriveis...
Apavora por aí mesmo com os gringos!!!
mtas saudades!!!
beijoooo Paulinhaaaa